Qual a capacidade que nós seres humanos temos de nos aperceber de fatos e momentos que acontecem em nossas vidas e que são capazes de ter um significado imperceptível à grande maioria, mas com uma sutileza gigantesca na construção de nossa caminhada, e que poucos conseguem fazer a sua leitura e dimensionar sua importância?

Pois faço estas considerações iniciais levando a todos a refletir sobre o momento que nosso MTG passou nos últimos meses e que culminou no congresso tradicionalista de São Borja. Este congresso entrou para história de uma forma peculiar e inédita. O maior congresso em número de delegados eleitores e poderíamos arriscar em participantes, em propostas apresentadas, principalmente pela juventude, que teve voz, vez e se abasteceu de coragem para posicionar-se e defender suas ideias e vontades.

As discussões nas plenárias não foram esvaziadas pela ferrenha campanha exercida pelos projetos colocados em pauta e escolhidos pelos delegados eleitores. Este congresso mostrou um outro MTG, talvez mais maduro, mais aberto, livre e capaz de posições ainda antes não tomadas. Este congresso nos revela a capacidade dos tradicionalistas de indignação, diante de processos que devem ter mudanças, de sistemas instalados e capazes de imobilizar os grandes grupos que fazem o movimento andar e ser grande.

Muitas lições e aprendizados foram oferecidos a todos que se serviram e mataram sua sede conforme seus desejos e vontades, uns demasiadamente ultrapassando limites do bom senso e boa convivência social e saudável, outros limitando-se a participarem. Por outro lado, tivemos aqueles que souberam aproveitar esta oportunidade para um verdadeiro crescimento como tradicionalistas e como seres humanos. A estes últimos, em uma minoria, envio aqui o meu reconhecimento e respeito pela postura e verdadeiro comprometimento com a instituição e o grupo social. Aos demais espero que fique o aprendizado sobre a participação em um processo democrático, onde a vontade individual e da maioria deve ou deveria ser a grande norteadora deste espetáculo da democracia.

Ficam o aprendizado, as experiências, a lembrança de um dos maiores congressos do nosso Movimento e a certeza de que a mudança é possível e novos tempos surgem no horizonte, prenunciando um novo alvorecer de esperança e conquistas.

Meus amigos tradicionalistas, continuem acreditando. É difícil, mas não impossível, e podemos juntos fazer a grande diferença em prol de um tradicionalismo verdadeiramente para todos. Um abraço e sucesso.

Nairo Callegaro | Presidente do MTG

Deixe uma resposta

Fechar Menu
%d blogueiros gostam disto: