Você já se perguntou, hoje, o que pode fazer por você, pelos outros e pelo mundo? Nos últimos anos tem crescido a consciência de que viver bem não se trata, apenas, de desfrutar das benesses e confortos que o mundo tem a oferecer. Cada vez mais pessoas se perguntam a respeito do que, ao contrário, elas podem fazer para melhorar o ambiente em que estão inseridas.
O rol de possibilidades é amplo: figuram desde atitudes mais simples, como pensar positivo e assim se tornar uma pessoa mais agradável no convívio e construtora de ambientes harmoniosos, até a prática do voluntariado. Há quem prefira fazer doações financeiras e há também quem opte por doar seu tempo e talento. Outra opção apreciada por muitas pessoas é a doação de sangue, pois trata-se de um recurso disponível, renovável, e que objetivamente salva vidas.

Foi pensando assim que as prendas e peões adultos das 30 regiões tradicionalistas do Rio Grande do Sul se engajaram, durante os meses de março e abril, à campanha de doação de sangue. O dia 5 de abril é a data estadual para a ação, capitaneada pela Secretaria Estadual de Saúde. A iniciativa dá continuidade às gestões anteriores, que criaram campanhas abordando temáticas pertinentes, como amizade e solidariedade.

O objetivo era não apenas captar doações no Dia Estadual da Doação de Sangue, mas conscientizar acerca da pertinência da doação ao longo de todo o ano, como um ato de amor e solidariedade. Para isso, foi realizada parceria com o Emotify, um cadastro online, onde as pessoas doadoras regulares são informadas digitalmente em quais hospitais ou hemocentros há carência de estoque, convidando a ir doar. Houve o registro de 50 novos doadores de todas as regiões tradicionalistas do Rio Grande do Sul, com destaque para a 9ª RT.

Segundo os organizadores, a adesão dos tradicionalistas à campanha ainda está tímida, ganhando força aos poucos. “A doação de sangue ainda é um tema pouco debatido em nossa cultura. Por isso a campanha seguirá sem data fim de término. A ideia é seguir em mais gestões, passando a administração da campanha para as próximas”, afirmam.

O clima, no entanto, é de satisfação e gratidão. “A ideia virou realidade e seguiremos lutando por ela”, afirmam.

Saiba como se tornar um doador regular

Critérios para Doar

Estar em boas condições de saúde;

Ter entre 16 e 69 anos, desde que a primeira doação tenha sido feita até 60 anos;

Pesar no mínimo 50kg;

Estar descansado (ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas);

Estar alimentado (evitar alimentação gordurosa nas 4 horas que antecedem a doação);

Apresentar documento original com foto recente, que permita a identificação do candidato, emitido por órgão oficial (Carteira de Identidade, Cartão de Identidade de Profissional Liberal, Carteira de Trabalho e Previdência Social);

Não ingerir bebidas alcoólicas nas últimas 24h;

Respeitar os intervalos para doação:

Homens – 60 dias (máximo de 04 doações nos últimos 12 meses);

Mulheres – 90 dias (máximo de 03 doações nos últimos 12 meses);

Impedimentos temporários

Resfriado: aguardar 7 dias após desaparecimento dos sintomas;

Gravidez: 90 dias após parto normal e 180 dias após cesariana;

Amamentação: se o parto ocorreu há menos de 12 meses;

Ingestão de bebida alcoólica nas 12 horas que antecedem a doação;

Tatuagem / maquiagem definitiva nos últimos 12 meses;

Situações nas quais há maior risco de adquirir doenças sexualmente transmissíveis: aguardar 12 meses.

Qualquer procedimento endoscópico (endoscopia digestiva alta, colonoscopia, rinoscopia etc): aguardar 6 meses;

Extração dentária (verificar uso de medicação) ou tratamento de canal (verificar medicação): por 7 dias;

Cirurgia odontológica com anestesia geral: por 4 semanas;

Acupuntura: se realizada com material descartável: 24 horas; se realizada com laser ou sementes: apto; se realizada com material sem condições de avaliação: aguardar 12 meses;

Vacina contra gripe: por 48 horas;

Herpes labial ou genital: apto após desaparecimento total das lesões;

Herpes Zoster: apto após 6 meses da cura (vírus Varicella Zoster);

Brasil: estados como Acre, Amapá, Amazonas, Rondônia, Roraima, Maranhão, Mato Grosso, Pará e Tocantins são locais onde há alta prevalência de malária. Quem esteve nesses estados deve aguardar 12 meses para doar, após o retorno;

EUA: quem esteve nesse país deve aguardar 30 dias para doar, após o retorno;

Europa: quem morou na Europa após 1980, verificar aptidão para doação no 0800550300;

Malária: quem esteve em países com alta prevalência de malária deve aguardar 12 meses após o retorno para doar (critério semelhante ao dos estados brasileiros com prevalência elevada de malária);

Febre Amarela: quem esteve em região onde há surto da doença deve aguardar 30 dias para doar, após o retorno; se tomou a vacina, deve aguardar 04 semanas; se contraiu a doença, deve aguardar 6 meses após recuperação completa (clínica e laboratorial).

Fonte: http://www.saude.rs.gov.br/doacao-de-sangue

Texto: Sandra Veroneze

Deixe uma resposta

Fechar Menu
%d blogueiros gostam disto: