Localizada a 600 quilômetros de Porto Alegre e integrante da 3ª Região Tradicionalista, São Borja, o primeiro dos Sete Povos Missioneiros, conhecida há muito tempo como a “Terra dos Presidentes”, atualmente ganhou uma nova denominação: Capital do Fandango.

Sua alcunha original deve-se ao fato de dois presidentes do Brasil terem nascido por lá: Getúlio Vargas e João Goulart. Já o novo título, ao fato da grande quantidade de bailes lotados que a cidade oferece.

Íbaro Rodrigues, secretário de Cultura e Turismo do município, ressalta que a região possui uma marca política muito forte, uma vez, que além dos presidentes, também originou três dos governadores do Rio Grande do Sul: Getúlio Vargas, Ernesto Dornelles e Tarso Genro.

Segundo Laudelino Ferreira, assessor de tradicionalismo da cidade, a nova denominação surgiu após uma visita do Repórter Farroupilha, Giovani Grizotti, em 2014. Devido a suas andanças pelo Estado para divulgar os acontecimentos e festividades, em setembro daquele ano veiculou uma matéria na qual apresentava um pouco de como eram os fandangos em algumas entidades são-borjenses. Nessa reportagem, acabou apelidando o município de Capital do Fandango.

E foi a partir dessa história, que o vereador Élvio Feltrin criou um projeto, posteriormente aprovado por unanimidade pela Câmara de Vereadores, para que São Borja assumisse o apelido. Após esse ato, a proposta foi encaminhada à Assembleia Legislativa, que com o apoio do então deputado estadual, Lucas Redecker, também recebeu aprovação, tornando oficial a localidade como “Capital Gaúcha do Fandango”.

Laudelino frisa que mesmo antes da denominação já eram bastante conhecidos os bailes promovidos na região, mas a partir do novo título passou-se a trabalhar os eventos em nível estadual. “Com certeza cada CTG teve o seu público de fora, tanto do Estado, quanto de fora dele.”. Segundo Laudelino, as entidades estão buscando se adequar para receberem ainda mais turistas nos próximos anos. Íbaro relata que existem algumas com espaço para três mil lugares, o que possibilita a recepção de grande quantidade de visitantes. Em média, cada fandango possui um público estimado de duas mil pessoas.

Esse aumento considerável no turismo fez com que não só as entidades tradicionalistas tivessem mais venda em seus ingressos, como toda a economia local também aumentasse. “Foi incrementada a questão do comércio, lojas de indumentária, lembranças, a rede hoteleira, bares restaurantes. Sem contar as visitações a museus, nossos locais públicos”, comenta o assessor.
Íbaro especifica que a cidade teve um aumento de em torno de 40% em relação ao turismo e que esse número ainda vai aumentar. “Isso é muito bom para São Borja. Ajudou inclusive na construção de mais hotéis. A gastronomia aumenta cada dia que passa.”

Por essa razão, os preparativos para a Semana Farroupilha 2019 iniciaram cedo. “As entidades já estão com os grupos contratados para os bailes. E, diga-se de passagem, são os grupos de ponta da região sul”, relata o secretário. O plano são as entidades CN Boitatá, CFTG Farroupilha, CTG Tropilha Crioula e PTG João Manoel desenvolverem nove fandangos esse ano.

Além disso, existem em média 40 piquetes, o que a prefeitura estima gerar uma média de 100 fandangos ao longo da Semana Farroupilha.

E para quem tem interesse em participar de algum desses bailes, é melhor se apressar na compra do convite. As vendas iniciam no mês de março e o secretário garante que em 2018, em abril, não havia mais ingressos para os fandangos realizados no mês de setembro.

Casais Fandangueiros

Mas não haveria fandango sem os pares dançando pelo salão. E assim, para comemorar as festividades, no mês de agosto de cada ano é promovido o “Dia de Campo”, no Parque Esportivo General Vargas, onde é realizado o concurso para escolher os casais fandangueiros. A competição é divida nas categorias mirim, juvenil e adulta. No ano passado, 40 casais participaram, entre integrantes de entidades de São Borja. Mas o plano é abrir a disputa para casais de todo o Rio Grande do Sul participarem.

Entre os que saíram vencedores em 2018 estão o casal juvenil Isadora Leal Corim e Welington Trindade Sant’anna, representantes do CFTG Farroupilha. Eles contam que o regulamento do concurso segue o manual de Danças Gaúchas de Salão do MTG, ou seja, os competidores devem apresentar ritmos entre polca, bugio, vaneira, chote, entre outros.

Primeiramente ocorre o sorteio da dança que deverá ser apresentada. Os melhores dançarinos vão se classificando em etapas, até serem revelados os campeões.

Além dessa competição, o evento todo é voltado para o tradicionalismo, com realização de oficinas temáticas de culinária, tiro de laço, chimarrão e objetos típicos da cultura gaúcha. E na oportunidade as entidades tradicionalistas também são avaliadas, conforme a quantidade de pessoas pilchadas que participam do evento e também as atividades que desenvolvem ao logo dos dois dias.

Texto: Tuanny Prado
Fotos: Prefeitura de São Borja

Deixe uma resposta

Fechar Menu
%d blogueiros gostam disto: