O CTG Estirpe Gaúcha, de Guaporé, integra o bloco 5 das apresentações das Danças Tradicionais Força A do Enart, que acontece de 16 a 18 de novembro em Santa Cruz do Sul. Confira o contexto de sua apresentação e detalhes sobre as coreografias de entrada e saída:

“Gauchito Gil” é considerado o mais proeminente santo gaúcho na Argentina. É um lendário personagem da cultura popular. Seu nome completo era Antonio Mamerto Gil Núñez. Supostamente nasceu na área de Pagamento Ubre, hoje Mercedes, província de Corrientes, possivelmente na década de 1840, e morreu em 8 de janeiro de 1878.
Antonio Gil teria sido um trabalhador gaúcho rural, adorador de São Morte, que teve um romance com uma viúva endinheirada. O relacionamento o fez ganhar a inimizade dos irmãos da viúva e do chefe de polícia local, que havia cortejado a mesma mulher. Dado o perigo, Gil deixou a área e se alistou para a Guerra da Tríplice Aliança (1864-1870) contra o Paraguai. Em seu regresso, foi recrutado pelo Partido Autonomista para lutar na guerra civil correntina contra o opositor Partido Liberal, porém desertou. Dado que a deserção era um delito, foi capturado, colocado de pé encostado a uma árvore com espinhos e morto com um corte na garganta. Gil disse a seu carrasco que deveria rezar em seu nome pela vida de seu filho, que se encontrava muito doente. O carrasco assim o fez, e seu filho sarou milagrosamente. Ele então deu ao corpo de Gil um enterro apropriado e as pessoas que participaram do féretro construíram um santuário.

São Morte (em espanhol: San La Muerte) é um santo popular venerado no Paraguai, nordeste da Argentina, além do sul do Brasil, especificamente nos estados do Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina. Suas imagens servem como um amuleto. Geralmente são esculpidas (exceto pela foice, que geralmente é adicionada) em um único pedaço de madeira dura, osso (ossos às vezes humanos), chumbo, gesso etc.

Para os crentes, São Morte existe no contexto da fé católica e é comparável a outros seres puramente sobrenaturais, como arcanjos. A devoção envolve orações, rituais e oferendas, que são dadas diretamente ao santo na expectativa do atendimento de solicitações específicas. As ofertas podem incluir sangue, bebidas alcoólicas, velas e outros objetos valiosos. O santo recebe oferendas em troca de favores relacionados a uma ampla gama de problemas pessoais. Pode ajudar a restaurar o amor, saúde e fortuna, proteger os adoradores de feitiçaria, eliminar o mau olhado e conceder boa sorte em jogos de azar.
Entrada: Devoto de San la Muerte – Buscando destacar e reafirmar a ligação entre Gauchito Gil e sua devoção a San La Muerte, o CTG Estirpe Gaúcha representa, em sua coreografia de entrada, essa ligação através do chamamé, ritmo este que tem origem na província de Corrientes, Argentina e apreciado em nossa cultura gaúcha e em vários locais do Brasil e Paraguai.

Saída: Assim nasce um Santo Criollo. Na coreografia de saída o grupo retratará a morte de Gauchito Gil e assim surge a figura do Santo Gil, retratado com um santuário com sua imagem e diversas bandeiras da cor vermelha. É costume dar ao santo cruzes de madeira, velas vermelhas, lenços e bandeiras vermelhas, para pedir ou agradecer por um milagre. Milhares de pessoas em toda a Argentina dizem ter sido abençoadas por Gauchito Gil, mesmo que a igreja católica não o reconheça como santo.

Foto meramente ilustrativa. Créditos: Deivis Bueno

Deixe uma resposta

Fechar Menu
%d blogueiros gostam disto: