O jornal Eco da Tradição, oficial do Movimento Tradicionalista Gaúcho e da Fundação Cultural Gaúcha, apresenta mais uma inovação a partir de seu número 199. Depois de lançar plataforma online própria na edição 198, agora a publicação amplia a participação das entidades tradicionalistas para divulgação de suas ações. No endereço www.ecodatradicao.com.br, no link “Envie sua notícia” os tradicionalistas que tiverem informações podem contatar a redação do jornal para apresentar sugestões de pauta.

Segundo o presidente do MTG, Nairo Callegaro, a iniciativa faz parte de um rol de ações que estão sendo implementadas para atualizar a comunicação do MTG, tornando-a mais plural e afim às tecnologias já amplamente utilizadas pelos tradicionalistas. “Gostamos de tradição, mas não podemos abrir mão de recursos que nos aproximam, que fazem nossa mensagem ir mais longe. Não fosse assim, ainda estaríamos utilizando os serviços de pombo correio”, afirma Callegaro.

Segundo o presidente, é importante que cada tradicionalista, que cada entidade, se aproprie do Eco da Tradição. Trata-se de uma publicação institucional, oficial, mas não restrita às ações da diretoria. Segundo Callegaro, sendo o MTG composto por cada entidade tradicionalista, nada mais justo que estas sejam notícia, podendo divulgar amplamente suas atividades para um público em nível estadual e desfrutando de todas as facilidades que as plataformas virtuais possibilitam.

Jornalismo interpretativo
Sendo essencialmente jornalístico, o Eco da Tradição no novo formato adapta-se à linguagem de cada plataforma. Assim, a edição impressa por exemplo migra do jornalismo puramente informativo para o interpretativo. A proposta, segundo o Conselho Editorial, é não apenas dizer o que acontece, mas por que acontece. “Se apenas fazemos, sem saber o fundamento, nos tornamos tarefeiros, e não tradicionalistas conscientes”, afirma Callegaro. Dessa forma, valoriza-se na publicação de 20 páginas entrevistas, diversos pontos de vista e também o contraditório. O jornalismo informativo, por sua vez, também tem seu espaço ampliado, na plataforma eletrônica, com o link Notícias completamente dedicado às ações das entidades e regiões tradicionalistas.

Para que as entidades tradicionalistas façam melhor uso do espaço, a assessoria de imprensa do MTG dá algumas dicas:

O que noticiar? Uma entidade tradicionalista é bastante rica em pautas de interesse da imprensa, especialmente a tradicionalista. Alguns exemplos: troca de patronagem, atividades de cada departamento, eventos, ações das prendas e peões, palestras, encontros, iniciativas para captação de recursos, investimentos que são realizados, atividades direcionadas à comunidade.

Quando noticiar? O jornalismo se pauta pelo critério de atualidade. Portanto, tudo que ainda vai acontecer pode ser noticiado, sendo estratégico que a divulgação inicie, sempre que possível, pelo menos um mês antes do fato acontecer. Depois que acontece, é importante que no máximo até dois dias depois já esteja sendo veiculado.

Por que noticiar? Ficou muito conhecida uma máxima do Chacrinha, um dos principais apresentadores de televisão que o Brasil já teve, segundo a qual “Quem não se comunica se trumbica”. Comunicar é fundamental para uma entidade tradicionalista, seja para atrair público, seja para prestar contas do serviço realizado. Ser notícia não é vaidade, e sim transparência, um dos ativos fundamentais em qualquer entidade do terceiro setor, como é o caso das entidades tradicionalistas.

Outros detalhes – O formulário disponível no site é um guia das informações necessárias para que a redação do Eco da Tradição redija a matéria. Um detalhe importante a ser observado é sempre enviar imagens que sejam preferencialmente fotografias da entidade, ou das pessoas que estão à frente do fato a ser noticiado, além de flyers, folders e outros materiais que possam trazer mais informações.

Acesse: http://www.ecodatradicao.com.br/envie-sua-noticia/

Deixe uma resposta

Fechar Menu
%d blogueiros gostam disto: