O ano de 2018 chegou ao fim e não podemos dizer que foi um ano fácil. Imensos foram os desafios. As dificuldades econômicas enfrentadas pelo país se refletiram nas atividades do Movimento Tradicionalista Gaúcho e, mais uma vez, tivemos que criar novas alternativas, parcerias e soluções, num reaprendizado constante.

Felizmente, para o Movimento Tradicionalista Gaúcho, há muito a comemorar. O simples fato de termos conseguido realizar com êxito todos os eventos do nosso calendário é um demonstrativo de que o tradicionalismo organizado saiu vencedor neste ano. E essa vitória não é aleatória, fruto do acaso, mas sim resultado de muito trabalho de todos que estiveram envolvidos.

O sentimento que cultivamos agora, no fechar de um ciclo, é portanto de gratidão. Como presidente do MTG, só me resta a agradecer pelo empenho de todos que se engajaram à causa tradicionalista e trabalharam para a construção do nosso ideal, expresso na Carta de Princípios.

Sabemos que é muito grande o esforço para evoluir e 2018, em particular, nos desafiou neste sentido. Exige empenho, disciplina e motivação. Tanto mais fácil é permanecer no local de inércia, de estagnação, onde proliferam atitudes destrutivas, como críticas maldosas, fake news, parcialidades que não interessam à coletividade. Isso tudo também vimos muito neste ano, maculando a imagem que temos perante a sociedade, perante a imprensa.

Mas graças aos valores verdadeiros do tradicionalismo, que sempre nos nortearam nesta caminhada, no saldo do ano a balança pende para os aspectos positivos. Tivemos objetivos claros, garra para buscar as realizações e conquistas. Tivemos o empenho dos tradicionalistas, entidades, regiões. Tivemos a clareza de distinguir quem estava junto para construir e quem não estava.

O Movimento Tradicionalista Gaúcho, em 2018, cresceu! E com isso, como deve ser, todos ganhamos.

Nairo Callegaro
Presidente do MTG

Deixe uma resposta

Fechar Menu
%d blogueiros gostam disto: