Chapa 2, “Pelos Laços da Tradição”, tem Manoelito Savaris como candidato a presidente

No Eco da Tradição de fevereiro, as três chapas que concorrem à presidência do MTG foram entrevistadas. Confira as considerações da chapa “Pelos laços da tradição”, em três aspectos fundamentais: filosofia de trabalho, principais propostas e argumentos para escolher esse grupo para a gestão da entidade.

Proposta para Administração do MTG no ano de 2021 – “A esperança de um Movimento acolhedor”

O grupo de tradicionalistas que se identificam pelo slogan “Pelos Laços da Tradição” definiu como princípios fundamentais da gestão os seguintes:
– Respeito – com todos; para todos; com as normas; com as opções de cada um.
– Transparência – como a regra básica para quem administra o que não lhe pertence.
– Honestidade – como um espelho da verdade, seja na administração ou nas relações com as pessoas e entidades.
– Dedicação – gerenciar o MTG como a tarefa mais importante.

Candidato a presidir o Conselho Diretor em 2021, Manoelito Carlos Savaris nasceu em Guaporé no ano de 1955, reside em Caxias do Sul. É Ten Cel da reserva da Brigada Militar. Formado em História. Foi patrão de CTG em várias oportunidades, Coordenador Regional, presidente do MTG, da CBTG e do IGTF. É Casado com a pedagoga Odila Paese Savaris, sua companheira a mais de quarenta anos.

As metas mais importantes a serem alcançadas em 2021
1. Gerenciar o MTG voltado a atender aos anseios das entidades tradicionalistas. Criar um setor para apoio técnico e jurídico, com profissional contratado;
2. Fortalecer e valorizar as coordenadorias regionais. São instancias administrativas indispensáveis ao bom funcionamento do Movimento;
3. Manter a autonomia do MTG diante das demais instituições e órgãos governamentais. Desvinculação de ideologias político-partidárias;
4. Criar um setor (Departamento) que congregue as pessoas que dedicam-se ao ensino das danças gaúchas (salão, tradicionais e chula) com o fim de criar canais produtivos entre a Instituição e as pessoas que atuam nessas áreas;
5. Reorganizar as finanças MTG, destinando às coordenadorias regionais 50% do valor arrecadado com as anuidades pagas pelas entidades filiadas;
6. Definir com clareza as competências para os colegiados de conselheiros beneméritos e de coordenadores regionais;
7. Regulamentar a realização das eleições ao Conselho Diretor e Diretoria do MTG, de forma descentralizada, nas regiões tradicionalistas, desvinculando o Congresso Tradicionalista da Assembleia Geral Eletiva;
8. Estabelecer critérios racionais para constituição de novas entidades tradicionalistas, com o fim de evitar o enfraquecimento das já existentes;
9. Realizar uma campanha social para estimular a ampliação dos quadros sociais dos CTGs. Mostrar à sociedade as nossas principais virtudes, especialmente a de oferecer um ambiente apropriado para a convivência pacífica entre as gerações.
10. Recuperar a Fundação Cultural Gaúcha para que cumpra os objetivos que levaram à sua criação no ano de 1980.

As vice-presidências
Ilva Maria Borba Goulart: nasceu em Alegrete onde reside. Formada em História e funcionária pública aposentada e presidente da associação dos funcionários públicos municipais. Foi prenda regional e coordenadora da 4ª RT por 13 anos. Pesquisadora é coautora do livro de indumentária gaúcha do MTG.

Renata de Cássia Pletz: nasceu em Triunfo e reside em São Jerônimo. Graduada em Literatura e Língua Portuguesa. É professora a 20 anos. Foi Diretora de Cultura da 2ª RT e Conselheira do MTG, integrou a Diretoria da Comissão Gaúcha de Folclore e, em 2019, foi a Patrona dos Festejos Farroupilhas de São Jerônimo.

José Nicanor Castilhos de Oliveira: nasceu em São Francisco de Paula e mora em Caxias do Sul. Formado em Direito é funcionário público a 29 anos. Vinculado à atividade campeira, foi coordenador regional e conselheiro do MTG. Foi o primeiro Diretor do Departamento de Juízes Campeiros.
Madeline Zancanaro: Nasceu em Marau onde reside. Formada em Educação Física e pós graduada em dança e consciência corporal. Foi prenda regional e, a 22 anos, atua como instrutora de danças. Foi Diretora de Danças de Salão e Danças tradicionais do MTG. Integra a equipe técnica da CBTG e atua junto a APAE em Marau.

Claudemir Bresolin: nasceu em Guaporé e reside em Erechim. É empresário da área dos calçados e artigos campeiros. Atua ativamente desde 1997 nos departamentos artístico e de esportes campeiros no CTG e na 19ª RT. É Diretor de Esportes Campeiros da RT desde 2017.

* Texto enviado pela Campanha