FCG disponibiliza em seu catálogo livros que auxiliam na gestão de RTs

A Fundação Cultural Gaúcha disponibiliza em seu catálogo pelo menos três obras que podem auxiliar os coordenadores regionais no desempenho de suas funções: a Coletânea Tradicionalista, publicada pelo MTG; “Ser Patrão”, de Fraga Cirne; e “CTG – SA”, de Guilherme Milani Lorscheider e William Machado de Oliveira.

Coletânea Tradicionalista – A Coletânea Tradicionalista é a principal obra norteadora das atividades dos tradicionalistas, em especial para os que estão em posição de comando, como são os coordenadores regionais. A coletânea apresenta detalhadamente o Estatuto do MTG, o Regulamento Geral, o Código de Ética, a Carta de Princípios e todos os regulamentos de eventos realizados pela entidade, como o Congresso Tradicionalista, Enart, Ciranda de Prendas e Entrevero de Peões.
Especificamente sobre a Região Tradicionalista, a coletânea explica o que são as RTs e como se formam. Também aborda a escolha dos coordenadores regionais, por meio de processo eletivo, período de mandato, entre outros detalhes.
Em seu texto de apresentação, a Coletânea da Legislação Tradicionalista é considerada talvez seja a publicação mais importante do Movimento Tradicionalista Gaúcho, por ser mais do que a juntada de todos os documentos que norteiam cada uma das atividades do tradicionalismo organizado, sejam culturais, campeiras ou artísticas, ou ainda de administração das nossas entidades. Mas sobretudo porque é o livro que personifica o valor e o verdadeiro sentido do ser tradicionalista no dia-a-dia, na prática, nos eventos e galpões. “Com suas normativas, ela demonstra como era, enquanto registro histórico validado por tantas pesquisas, mas também como deve ser”.

Ser Patrão e Administração de CTG – A obra “Ser Patrão e Administração de CTG”, de Paulo Roberto de Fraga Cirne, pode ser utilizada pelos coordenadores regionais para a qualificação de suas funções. O livro diferencia, por exemplo, ser e estar no cargo, apresenta os requisitos de um bom administrador e detalha as competências necessárias.
Fraga Cirne defende, por exemplo, que o gestor da entidade não precisa ser formado em administração, mas é fundamental que esteja bem assessorado, tenha visão e seja organizado. Para ele, o líder também não precisa saber tudo, mas não pode prescindir de conhecer o básico sobre a história do tradicionalismo e a filosofia do Movimento. Fraga também argumenta que deve conhecer os documentos que rege a entidade. Ele também dá dicas pontuais como escolher bem a equipe de trabalho, não sentir-se dono da entidade, relacionar-se bem com todos, ter uma visão geral da entidade e estar atento a tudo e tudos.

CTG SA – “CTG S.A. – Liderança e comunicação para atingir o sucesso” tem como autores Guilherme Milani Lorscheider e William Machado de Oliveira. Ambos são tradicionalistas e fizeram uma pesquisa qualitativa, com mais de 400 respostas, e dessenvolveram um estudo sobre métodos e ferramentas capazes de auxiliar as entidades tradicionalistas em seus processos de gestão, podendo ser aplicadas por patrões e também coordenadores regionais.
O conteúdo de CTG SA levanta diversos questionamentos e aponta soluções para questões como a dificuldade em ter conversas difíceis, como resolver problemas, a importância de impor limites, como avaliar a inteligência emocional, importância de delegar funções, motivações, como identificar perfis de liderança, linguagem corporal, importância de direção e metas, humor e liderança, motivos pelas quais as entidades quebram e os motivos pelos quais as pessoas não fazem mais do que a obrigação.

Aquisição – As três obras estão disponíveis no catálogo da loja da Fundação Cultural Gaúcha, no link https://lojafcg.lojavirtualnuvem.com.br/

 

Por Sandra Veroneze | Matéria integrante do Eco da Tradição 222