“Precisamos estar preparados para mudanças repentinas que alteram o planejamento”

O Departamento de Apoio à Juventude Tradicionalista iniciou o ano cheio de otimismo e preparado para um calendário intenso de atividades. Com a pandemia, os eventos que contariam com a participação dos jovens integrantes do Departamento Jovem e também da Gestão de Prendas e Peões foram suspensos. Nesta entrevista, os diretores Genil e Ivanir falam sobre os aprendizados e conquistas até o momento.

Quais as atividades/responsabilidades do departamento?
As responsabilidades da Diretoria de Apoio à Juventude Tradicionalista é de orientar, apoiar, incentivar, acompanhar nos eventos, organizar – como hospedagem, transporte, tanto na organização antecipada de hotel, alojamento, por exemplo, como em questões financeiras, como a organização do ressarcimento de gastos. Também é nossa função fazer a intermediação entre a gestão de Prendas e Peões do Rio Grande do Sul e Departamento Jovem Central com a Diretoria do MTG.

Como é composta a equipe de trabalho?
Os Diretores do Departamento de Apoio à Juventude Tradicionalista somos nós, Genil Rigo e Ivanir Líbera Trentini Rigo. Somos casados, naturais de Santo Antônio do Palma, representantes do CTG Pousada dos Tropeiros do mesmo município, e 7ª Região Tradicionalista. Temos, entre nossas responsabilidades, repassar as informações para a Roberta Jacinto, Vice-Presidente de Cultura do MTG, e, em seguida, ela repassa para Gilda Galeazzi, Presidente do MTG. Então a equipe de trabalho é composta por essas pessoas, possibilitando o contato entre todos: gestão, diretoria de apoio e diretoria do MTG.

Neste ano tivemos / estamos tendo a pandemia. O que foi suspenso em função da Covid-19?
O ano de 2020 foi atípico. Devido à pandemia, houve alteração em toda a programação do Movimento Tradicionalista Gaúcho também. A programação de janeiro e fevereiro ocorreu normalmente. Dia 08 de março ocorreu o último evento estadual – o Seminário Estadual de Prendas, na cidade de Carazinho, 7ª Região Tradicionalista. Após este evento, aconteceria FECARS na cidade de Pelotas, e este foi o primeiro evento suspenso. Após este, todos os eventos seguintes foram suspensos. Em abril, nossos jovens preparavam-se para a realização do Entrevero Cultural de Peões – fase estadual, que aconteceria na cidade de Cachoeira do Sul; em maio, a tão sonhada 50ª Ciranda Cultural de Prendas a qual seria realizada na cidade de Santa Maria; em junho, as Cirandas e Entreveros – fase regional; em julho, houve a suspensão da Convenção Tradicionalista; em agosto, o Acendimento e distribuição da Chama Crioula; em setembro, toda a programação presencial da Semana Farroupilha, incluindo o desfile de 20 de setembro de Porto Alegre, evento que sempre contou com a participação das Prendas e Peões estaduais; em outubro: Tchêncontro Estadual da Juventude Gaúcha, Acampamento Estadual e aniversário do MTG; em novembro: Encontro de Arte e Tradição Gaúcha (Enart) e junto a este, a Mostra de Arte e Tradição Gaúcha. Estes são os eventos promovidos historicamente de forma presencial pelo MTG e que a gestão estadual estaria presente desenvolvendo suas atividades. Além desses, houve inúmeros eventos regionais e internos que estavam organizados e que contariam com a participação do Departamento Jovem e Prendas e Peões do RS e que também foram suspensos durante este período.

Por outro lado, o que foi criado em função da Covid-19?
Tendo convicção de que seria necessário encontrar formas de manter o Rio Grande tradicionalista conectado, foram criadas diversas novas programações, como por exemplo: lives, reuniões online, templates, campanhas de doação de brinquedos, entre outros. As redes sociais foram muito exploradas, visto que essa foi a melhor maneira encontrada para atingir o maior número de pessoas e mesmo que virtualmente, manter contato.

Que atividades ainda serão desenvolvidas até o final do ano?
A gestão estadual e o Departamento Jovem Central estão sempre trabalhando e buscando inovação. Por ora, as publicações nas redes sociais oficiais continuarão, assim como a participação em lives e em palestras online. Para a data em que seria realizado o Enart, assim como houve na data do Entrevero e Ciranda, por exemplo, haverá programação especial.

Quais as lições da pandemia para o departamento?
Acreditamos que ninguém viverá o “novo normal”, após o final da pandemia, sem novos aprendizados. Para o Departamento de Apoio à Juventude Tradicionalista não seria diferente. Aprendemos que é possível manter contato, compartilhar ideias e trabalhar pelo tradicionalismo, mas o online não substitui o presencial e não substitui o abraço e a conversa de cada evento. Assumimos o Departamento em março de 2020 e o único contato que tivemos de forma presencial, com parte da gestão estadual, foi no Seminário Estadual de Prendas, em Carazinho. Foi o único momento que tivemos para trocarmos ideias, experiências e organizarmos o trabalho que seria realizado até abril e maio de 2020. Por mais que conhecíamos a grande maioria das Prendas e Peões e alguns familiares também, o início foi um pouco difícil, pois estávamos organizados para manter contato pessoalmente. Portanto, a pandemia também nos deixa como lição que por mais que estejamos organizados com planos e objetivos para um longo período, precisamos estar preparados para mudanças repentinas e que alteram todo planejamento.

Entrevista para Sandra Veroneze

Matéria integrante do Eco da Tradição 2019